Siga nossas redes sociais

Destaque

O que é melhor? Bebida, gel ou barra para usar na corrida?

Avatar photo

Publicados

em

O carboidrato melhora o desempenho durante eventos longos (>2h). A ingestão de líquidos pode ajudar a prevenir a desidratação grave e contribuir para o desempenho.

Mas é melhor beber isotônicos, géis, barras ou outras fontes de carboidrato?

Nas corridas os atletas parecem fazer escolhas diferentes e vemos atletas competirem apenas com bebidas, assim como atletas que consomem uma miscelânea completa!

Mas o que deve ser utilizado? Bebida carboidratada, Gel ou Barra?

Estudos

Para responder a essa questão, vamos apresentar dois estudos realizados pela Universidade de Birmingham.

No primeiro estudo, a pesquisadora Beate Pfeiffer comparou a ingestão de uma bebida esportiva com a ingestão de um gel contendo a mesma quantidade de carboidrato mais água. O ciclista pedalou por duas horas em intensidade moderada e consumiu 1 gel por hora (com Composição de glicose: frutose 2:1) com 200 ml de água ou bebida com carboidratos.

Em ambas as tentativas os ciclistas receberam a mesma quantidade de carboidrato. A ingestão média de carboidratos foi alta: 1,8 g/min e ingestão de líquidos

No segundo estudo, foi comparado o uso de uma barra energética com uma bebida com carboidratos. O design do estudo foi muito semelhante: o ciclista pedalou duas horas novamente e, desta vez, recebeu uma bebida com carboidratos ou uma barra energética com água.

A quantidade total de carboidratos ingeridos, bem como a quantidade total de líquidos ingeridos, foi igualada nos dois ensaios. A barra usada neste estudo era uma barra de energia comumente disponível, rica em carboidratos, mas pobre em proteínas, gorduras e fibras.

Estudo 1 – Uso de água + gel de carboidrato

Estudo 2 – Uso de água + barra

Resultados

O que os resultados desses dois estudos nos mostraram que a forma como os carboidratos ingeridos realmente não importa para a oxidação do carboidrato. Em outras palavras, como atleta, você pode misturar e combinar e pode usar géis, barras ou uma bebida esportiva ou o que preferir para obter seu carboidrato. Em termos de fornecimento de fluidos, que não foi testado neste estudo em particular, seria de esperar que, com alimentos sólidos, o fornecimento de fluidos seja ligeiramente prejudicado em comparação com o líquido.

Assim, os atletas podem misturar e combinar fontes de carboidrato que melhor se adaptam às suas preferências.

Alguns atletas preferem apenas líquidos, outros realmente precisam comer algo para passar por corridas mais longas. Para alguns atletas, os géis são uma maneira conveniente de ingerir carboidratos, mas nem todo mundo é fã deles. Portanto, escolha a fonte de carboidrato que funcione para você. Trabalhe o alvo e planeje sua nutrição de corrida junto a um nutricionista.

Por: Fran Santin

Destaque

On, marca suíça de tênis, lança o Cloudmonster 2,

Avatar photo

Publicados

em

On, marca suíça de tênis e roupas esportivas, lança o Cloudmonster 2, com uma campanha especial destacando ciência, música e performance de corrida

On, marca suíça de roupas esportivas lança hoje o Cloudmonster 2, seu novo tênis com retorno máximo de energia, e uma campanha global colaborativa que reúne cientistas, artistas musicais e a comunidade de corrida.

O amortecimento máximo da On evoluiu, o novo Cloudmonster 2 foi projetado para oferecer mais desempenho aos corredores do dia a dia. As atualizações na icônica sola de tecnologia CloudTec® associada a placa speedboard proporciona a sensação de ir além e a dupla camada de espuma oferece uma sensação de amortecimento ativo e estabilidade.

Além da potência de corrida, o novo modelo também aumenta sua força na sustentabilidade, com 24% do tênis sendo feito de material reciclado. O poliéster ainda é uma dos destaques do reaproveitamento do tênis, com 92% fruto do reuso. O modelo ainda conta com menos TPU na construção, em comparação ao primeiro Cloudmonster. 

Para marcar o lançamento do Cloudmonster 2, a On colaborou com o Kinda, o estúdio e laboratório de neuroestética, que usou a neurociência para criar o som em uma faixa personalizada e um mix musical cientificamente projetado para dar energia aos corredores. Cada um utiliza diversos BPMs (batidas por minuto), frequências e dinâmicas melódicas específicas para amplificar os efeitos da música nas ondas cerebrais, na fisiologia e na neuroquímica cerebral, ajudando a melhorar o humor – um dos mais famosos impulsionadores de desempenho. Este processo de design contou com uma base científica, baseada em testes neurocientíficos personalizados dos corredores na pista e analisando o aumento de energia deles em três momentos distintos: físico, através de padrões de frequência cardíaca mais dinâmicos, emocional, pela melhorias de humor, e social, através de uma sincronização dos batimentos cardíacos dos corredores impulsionados pela sensação de vínculos entre si.

A campanha conta ainda com a DJ e produtora internacionalmente aclamada Jayda G, que criou uma faixa com uma dinâmica sonora capaz de aumentar a energia dos corredores. A plataforma musical alternativa londrina NTS Radio ajudou a conectar a On, o envolvimento de Jayda G, e dois mixes originais da cantora, DJ e produtora americana Yaeji. Essas mixagens energéticas, que também contam com a faixa de Jayda G, podem ser ouvidas pelos corredores no site da NTS Radio. Todas as composições usadas nesta campanha se baseiam nas descobertas científicas do Kinda Studios e nos feedbacks da comunidade da On.

Com lançamento em 22 de fevereiro, o Cloudmonster 2 está disponível em www.on-running.com/pt-br/ e em varejistas selecionados.

Por: Redação Runners Brasil

Continue lendo

Destaque

Grupo Oscar Calçados anuncia a terceira etapa do Circuito Oscar Fila

Avatar photo

Publicados

em

Corrida de rua acontece no dia 10 de março em São José dos Campos, com concentração no Paço Municipal 

Grupo Oscar Calçados, rede varejista de São José dos Campos com mais de 180 lojas em todo o Brasil, anuncia a terceira etapa da meia maratona do Circuito Oscar Fila, que acontece no dia 10 de março, em São José dos Campos. A primeira aconteceu em agosto, também em São José dos Campos, e a segunda etapa em Mogi das Cruzes, na região metropolitana, em outubro. As inscrições para a terceira etapa estão abertas no site oficial do evento e custam R$120,00 em todas as categorias. 

Serão três percursos de corrida: 5km, 10km e 21km. Além de um percurso de 5km de caminhada, que têm como ponto de partida o Paço Municipal de São José dos Campos, a partir das 7h. Para que os inscritos tenham maior comodidade e conforto na experiência, o espaço Runner Care terá guarda-volumes, teste de glicemia, medição de pressão e massagem.

Além disso, para incentivar a diversidade e inclusão, atletas PCDs e pessoas acima de 60 anos também são bem-vindos na corrida de 5km e têm desconto nos kits. Os kits podem ser retirados no dia da corrida ou a partir do dia 9 de março.

Serviço:

Evento: Circuito Oscar Fila

Quando: 10 de março, às 7h

Onde: Paço Municipal de São José dos Campos – Avenida Teotônio Vilela, Vila Santa Luzia;

Valor: R$ 120,00

Inscrições: https://circuitooscar.com.br/

Continue lendo

Destaque

Pepe Fiamoncini no Guinness Book – Agora é oficial!

Avatar photo

Publicados

em

Ano passado a Revista Runners Brasil entrevistou para a capa Pepe Fiamoncini, logo após ele ter realizado uma façanha inédita.

Percorrer 170 quilômetros, cruzando o Salar de Uyuni, o maior deserto de sal do mundo, na Bolívia, em 33 horas, ininterruptas.

Todo esforço valeu a pena! Recentemente o Livro dos Recordes homologou a travessia como sendo a pessoa mais rápida da história a cruzar o Salar do Uyuni, na Bolívia, considerado o maior e mais alto deserto de sal do mundo.

E batemos um papo com ele para saber mais sobre a importância dessa validação do Livro dos Recordes.

Revista Runners Brasil: O que representa essa validação no Guinnes?

Pepe Fiamoncini: Essa validação é um marco na minha vida como atleta. Mais que isso, foi um atestado de que todo o planjamento, treino e trabalho foi feito corretamente.

Existem regras oficiais que o Guinness Book solicita para comprovar e validar o recorde, como: depoimento de testemunhas independentes, arquivos específicos de GPS e comprovação de video e foto com uma regularidade determinada. Tive que pensar em tudo que podia dar errado, para evitar e minimizar qualquer prejuízo de invalidação. Teve muito trabalho além de “só correr”.

RRB: Quais os benefícios desta validação para o atleta?

PEPE: Não existe uma premiação ou algo do tipo. No máximo irei receber o certificado oficial “Officially Amazing” para pendurar na parede, que para mim já é o suficiente.

Meu maior prêmio foi na verdade ter mostrado ao mundo que algo inusitado, como correr 4 maratonas seguidas em um deserto, é possível.

Recebo muitas mensagem de apoio dizendo que servi de inspiração para a pessoa.

“Mudar a vida das pessoas através do esporte, esse é sem dúvida meu maior ganho”. – Pepe Fiamoncini

RRB: O que fica de apreendizado deste desafio?

PEPE: 1- Tenha um bom planejamento: minimize o que pode dar errado, pense em cada detalhe;

2- Se prepare fisicamente e mentalmente para encarar condições extremas; e

3- Sonhe grande!

É difícil planejar algo em outro país, em outra moeda, outro clima, cultura e algo que extrapola o convencional, apesar de ter pessoas que acharam que eu estava brincando quando contava sobre o que ia fazer.

RRB: Foi um sonho realizado?

PEPE: Sem dúvida! Todos meus desafios tem a vontade de um sonho. Eles nascem no pensamento, ganham força através da ardente emoção que geram e se concretizam pela ação.

Além de ter conquistado uma vitória pessoal na superação, pude ajudar o projeto Correndo Por Eles. Foram mais de 40 famílias impactadas diretamente com o projeto e centenas de outras indiretamente. Pude realizar tanto um sonho meu quanto ajudar outras pessoas a realizarem os delas.

RRB: Pretende realizar outro feito assim?

PEPE: Com certeza! Escuto muito “o Pepe faz isso” quando o assunto é desafios.

Tudo que testa o potencial máximo da capacidade humana, é uma sinal de que estarei lá. Se não me desafia, não me motiva.

Em junho deste ano pretendo voltar à Bolívia para escalar montanha e quem sabe dou uma passada no Salar do Uyuni para tentar melhorar esse tempo. Dá para tentar fazer em 24h! Bom desafio né?

RRB: E no futuro, o que podemos esperar?

PEPE: Novos desafios e novos recordes! Não posso dizer exatamente o que será, pois só abro o jogo quando tudo está alinhado para dar certo (superstição).

Quero continuar nas ultradistâncias, inovando em desafios extremos na corrida, no ciclismo e no montanhismo. Quem me acompanha nas redes sociais verá um Pepe ainda mais motivado em busca da Ultra Performance humana.

Agora nos resta esperar porque, com certeza, vem aventura boa por aí!

Quem não viu a matéria completa na REVISTA RUNNERS BRASIL
Clica – Pepe Fiamoncini

Por: Dani Christoffer

Continue lendo

Em Alta