Siga nossas redes sociais

Corrida e Ciência

Cuidados nas corridas de longas distâncias em baixas temperaturas

Avatar photo

Publicados

em

A organização de uma corrida de rua de grandes proporções é uma tarefa complexa que necessita de grande mobilização como uma boa rede de comunicação, voluntários treinados e uma equipe eficiente. Os extremos ambientais impõem desafios adicionais aos sistemas organizacional e médico, sobretudo a preparação do atleta. Correr pode ser uma atividade desafiadora, mas correr no frio pode ser ainda mais difícil. No entanto, com as roupas e equipamentos certos, você pode continuar a correr mesmo nos dias mais frios do ano.

O Colégio Americano de Medicina do Esporte trás algumas orientações a serem seguidas pelos organizadores, diretores médicos, voluntários e atletas para um exercício prolongado ou intenso em ambientes com e sem estresse ambiental. Certifique-se de usar roupas adequadas para o clima frio. Isso inclui uma camada base térmica para manter o calor, uma camada intermediária para maior isolamento e uma camada externa resistente ao vento e à água, não se esqueça de usar luvas, um gorro e meias quentes para proteger as extremidades do corpo.

A principal preocupação é com a hipotermia, temperatura corporal central abaixo de 36ºC, ocorrendo quando a perda de calor é maior do que a produção metabólica. Entre os sinais e sintomas precoces de hipotermia podemos incluir calafrios, euforia, confusão mental. Com a queda da temperatura central caindo, podem ocorrer letargia, astenia muscular, desorientação, alucinações, depressão ou comportamento combativo. Nas temperaturas abaixo de 31,1ºC, o calafrio pode parar e o paciente se tornará progressivamente mais delirante.

É importante também aquecer bem antes de começar a correr. Isso pode incluir fazer alguns exercícios educativos dinâmicos e caminhar por alguns minutos para aumentar a temperatura corporal. Em eventos de longa distância realizados em temperaturas frias ou muito frias, os distúrbios mais comuns além da hipotermia, são a exaustão e desidratação. As queixas mais comuns são astenia, calafrios, letargia, fala arrastada, tonteira, diarreia e sede. Um corredor se queixar de frio ou calor nem sempre se associa com alterações da temperatura retal.

Durante a corrida, preste atenção à sua respiração e tente respirar pelo nariz para aquecer o ar antes que ele chegue aos pulmões. Certifique-se de manter-se hidratado, mesmo que não sinta sede. A desidratação é comum em clima frio. Os corredores devem tentar repor líquidos em uma taxa semelhante à das perdas pela urina e suor. Casos de hipotermia também ocorrem na primavera e no outono, pois as condições meteorológicas podem mudar rapidamente e os corredores podem estar vestindo roupas inadequadas durante um treino ou uma competição.

Por fim, lembre-se de diminuir o ritmo e ajustar suas expectativas em relação ao desempenho. Correr no frio pode ser mais desafiador e cansativo do que correr em clima mais quente. Com essas recomendações, organização e conhecimento do local onde será realizada a competição, você poderá continuar a correr no frio e manter sua rotina de exercícios durante todo o ano, inclusive obtendo bons resultados e provas de longa distâncias como Maratonas e Ultramaratonas de asfalto o montanha.

Por: Eduardo Barbosa – @edurun

Corrida e Ciência

Corrida de Rua: A Importância da Recuperação Pós-Treinamento

Avatar photo

Publicados

em

A corrida de rua é uma prática esportiva que tem conquistado cada vez mais adeptos nos últimos anos. Além de proporcionar benefícios à saúde física e mental, a corrida de rua também é uma forma popular de atividade física que promove a socialização e o bem-estar. No entanto, para obter o máximo de benefícios e evitar lesões, é essencial entender a importância da recuperação pós-treinamento.

Após um treino de corrida, o corpo passa por um processo de desgaste muscular e esgotamento das reservas de energia.

A fadiga é um fenômeno complexo e multifatorial, é sugerida como um dos fatores de risco de lesão. Medir e monitorar a fadiga e a recuperação pode ser difícil.

Avaliar a fadiga em atletas recreacionais e consequentemente aplicar uma recuperação adequada, pode ser a chave para uma melhor performance na corrida de rua.

A recuperação pós-treinamento é fundamental para permitir que o corpo se repare e se fortaleça, preparando-se para o próximo desafio.

Aqui estão algumas práticas essenciais para uma recuperação eficaz:

Hidratação Adequada: Durante a corrida, o corpo perde uma quantidade significativa de líquidos e eletrólitos. Portanto, é crucial relatar perdas através da ingestão de água e bebidas isotônicas.

Alimentação Balanceada: Após o treino, é importante consumir alimentos ricos em proteínas e carboidratos para ajudar na recuperação muscular e na modificação de energia.

Descanso Adequado: O sono desempenha um papel vital na recuperação pós-treinamento. Durante o sono, o corpo libera hormônios de crescimento e repara o nível celular, promovendo a recuperação muscular e a regeneração do tecido.

Alongamento e Massagem: Os alongamentos suaves e a massagem ajudam a relaxar os músculos, melhoram a circulação sanguínea e reduzem a dor após o treino.

Mobilidade articular: Os movimentos repetitivos ajudam a manter a flexibilidade e a amplitude de movimento nas articulações, promovendo uma melhor saúde articular e prevenindo lesões.

Além disso, é importante prestar atenção aos sinais do corpo, como dores musculares persistentes, fadiga extrema ou falta de motivação, e dar tempo para a recuperação adequada. Ignorar os sinais de excesso de treinamento pode levar a lesões e over training, prejudicando o progresso do corredor.

Em resumo, a recuperação pós-treinamento é tão importante quanto o próprio treinamento. Ao adotar práticas de recuperação preventiva, os corredores podem melhorar seu desempenho, prevenir lesões e desfrutar de uma experiência mais gratificante na corrida de rua. Portanto, lembre-se: treine com dedicação, mas recupere-se com sabedoria.

Por: Eduardo Barbosa

Continue lendo

Corrida e Ciência

O futuro da corrida de rua, o atleta e as ciências do esporte

Avatar photo

Publicados

em

Sem dúvida, a ciência tem um papel fundamental no futuro da corrida de rua para o atleta amador. À medida que a ciência do esporte continua a evoluir, novas descobertas e abordagens surgem para ajudar os corredores a melhorar seu desempenho e prevenir lesões.

Por exemplo, a análise biomecânica pode ajudar os corredores amadores a identificar problemas de técnica e trabalhar para corrigi-los, melhorando a eficiência e reduzindo o risco de lesões. Além disso, a nutrição adequada e a hidratação são fundamentais para um bom desempenho e recuperação, e a ciência pode ajudar a fornecer informações precisas sobre como os corredores devem se alimentar e se hidratar para maximizar seu potencial.

A ciência também pode ajudar os corredores amadores a entender melhor como o treinamento afeta seus corpos e como otimizar sua programação de treinamento para alcançar seus objetivos. Além disso, a tecnologia wearable (vestível), como relógios inteligentes e sensores de desempenho, pode fornecer informações valiosas sobre o desempenho do corredor e ajudá-lo a monitorar seu progresso.

É provável que, no futuro, os corredores amadores sejam a base para os atletas de elite que buscam melhorar seu desempenho e prevenir lesões se baseando cada vez mais na ciência para orientar seus treinamentos e escolhas de estilo de vida, hoje com cada vez mais cientistas estudam o corredor amador, há informações importantes sobre este publico e seu rendimento esportivo.

Um estudo recente, conduzido por Thomas aborda a importância do treinamento para corredores de longa distância da elite mundial, apresentando uma integração entre literatura científica e prática comprovada de resultados. O estudo destaca as características-chave que trazem para o sucesso dessas atletas.

A pesquisa baseia-se em uma revisão abrangente da literatura científica disponível, combinada com uma análise de práticas bem-sucedidas utilizadas por corredores de elite. Os autores destacam a importância do volume e da intensidade do treinamento, bem como a periodização adequada para maximizar o desempenho.

O artigo discute a relevância do treinamento de resistência, incluindo corridas longas e intervaladas, para melhorar a capacidade cardiovascular e a resistência muscular dos corredores. A nutrição adequada, o descanso e a recuperação também são considerados como fatores essenciais para melhorar o desempenho atlético.

Os resultados do estudo indicam que uma abordagem integrada, combinando evidências científicas e práticas comprovadas, é fundamental para o desenvolvimento de corredores de longa distância da elite mundial. Essas descobertas têm implicações significativas para treinadores, atletas e profissionais da área de desempenho esportivo.

Em outro ponto o artigo fornece uma visão abrangente sobre as características de treinamento de corredores de longa distância da elite mundial, destacando a importância da integração entre literatura científica e prática comprovada. Essa abordagem pode servir como um guia valioso para melhorar o desempenho atlético nessa modalidade esportiva.

Embora não se possa prever o futuro com certeza, com base nas tendências atuais, algumas possíveis áreas de desenvolvimento no campo da ciência e treinamento de corrida de rua em 2024 podem incluir:

Tecnologia vestível avançada: O uso de dispositivos vestíveis, como relógios inteligentes e sensores de desempenho, continuará a evoluir, fornecendo aos corredores informações mais detalhadas sobre seu desempenho, biomecânica e recuperação.

Inteligência artificial e análise de dados: Uma aplicação de algoritmos de inteligência artificial na análise de dados perdidos durante os treinos e competições pode fornecer insights valiosos para otimização do treinamento, identificação de padrões e prevenção de lesões.

Treinamento personalizado: Com a crescente disponibilidade de dados individuais, os treinadores poderão personalizar ainda mais os programas de treinamento, levando em consideração fatores específicos de cada corredor, como histórico de lesões, metabolismo e capacidades físicas.

Abordagens de recuperação aprimoradas: O foco na recuperação adequada após o treinamento e competições será cada vez mais valorizado. Isso pode incluir técnicas avançadas de recuperação, como crioterapia, terapia de especificações, terapias regenerativas e estratégias nutricionais específicas.

Ênfase na saúde e bem-estar geral: Além do desempenho esportivo, há uma maior ênfase na saúde e bem-estar geral dos corredores. Isso pode envolver a integração de práticas de mindfulness, sono adequado, nutrição balanceada e cuidados com a saúde mental no treinamento.

Lembrando que essas são apenas tendências possíveis com base no contexto atual. À medida que a ciência e o treinamento esportivo continuem a evoluir, é provável que novas descobertas e abordagens surjam ao longo do tempo.

Muitas desta informações podem lhes parecer familiar à primeira vista, a novidade é que a muitas pesquisas partem muito mais de observações práticas de quem compões um número enorme de praticantes do esporte que é o atleta recreacional, o futuro da corrida de rua certamente passará pelo atleta amador.

Por: Eduardo Barbosa

Continue lendo

Corrida e Ciência

Como Melhorar Sua Corrida Con(s)ciência?

Avatar photo

Publicados

em

A Ciência do Esporte é uma área de estudo multidisciplinar que se concentra na compreensão dos efeitos do exercício físico e do esporte no corpo humano. Ela engloba diversas disciplinas, como fisiologia, biomecânica, psicologia, nutrição e medicina esportiva.

A Ciência do Esporte tem um papel fundamental na corrida de rua, cada vez mais pesquisadores e Cientistas, no mundo todo, tem a preocupação melhorar o desempenho de atletas amadores e traduzir de forma simples e didática para quem procura informação.

Através da Ciência do Esporte, é possível entender como o corpo humano responde ao exercício físico e como o treinamento pode ser otimizado para melhorar o desempenho esportivo. Por exemplo, a fisiologia do exercício estuda as adaptações do corpo ao treinamento físico, como o aumento da capacidade cardiovascular e a melhoria da eficiência muscular.

A biomecânica, por sua vez, estuda os movimentos do corpo durante o exercício físico, ajudando a identificar os padrões de movimento mais eficientes e a prevenir lesões. A psicologia esportiva investiga os fatores psicológicos que influenciam o desempenho esportivo, como a motivação, a ansiedade e a confiança.

A nutrição esportiva é outra área importante da Ciência do Esporte, que estuda como a alimentação pode afetar o desempenho e a recuperação após o exercício físico. Por fim, a medicina esportiva é responsável pelo diagnóstico e tratamento de lesões relacionadas ao esporte.

A Ciência do Esporte é fundamental para o desenvolvimento de programas de treinamento mais eficientes e seguros, além de contribuir para a melhoria do desempenho esportivo e para a prevenção de lesões. Ela também pode ser aplicada em outras áreas além do esporte, como na reabilitação física e na promoção da saúde e qualidade de vida.

Quando o assunto é especificamente nossa corrida de rua veja abaixo as dez principais dicas, baseados em artigos científicos e traduzidos aqui para uma linguagem simples: 

1. Aqueça antes de correr: Fazer um aquecimento antes da corrida pode ajudar a melhorar o desempenho e reduzir o risco de lesões.

2. Use calçados adequados: Escolher um tênis de corrida adequado para o seu tipo de pé e estilo de corrida pode ajudar a prevenir lesões e melhorar o desempenho.

3. Varie o treino: Incluir diferentes tipos de treino, como corridas intervaladas ou treinos de resistência, pode ajudar a melhorar a capacidade cardiovascular e a resistência.

4. Aumente gradualmente a distância: Aumentar a distância percorrida gradualmente pode ajudar a evitar lesões e melhorar o desempenho.

5. Preste atenção à postura: Manter uma postura adequada durante a corrida pode ajudar a melhorar a eficiência e reduzir o risco de lesões.

6. Faça treinos de força: Incluir treinos de força na rotina de exercícios pode ajudar a melhorar a resistência muscular e prevenir lesões.

7. Mantenha uma boa alimentação: Uma alimentação saudável e equilibrada pode ajudar a melhorar o desempenho e a recuperação após os treinos.

8. Descanse adequadamente: O descanso é fundamental para permitir que o corpo se recupere e se adapte ao treino, ajudando a prevenir lesões e melhorar o desempenho.

9. Monitore o ritmo cardíaco: Monitorar o ritmo cardíaco durante a corrida pode ajudar a controlar o esforço e evitar lesões.

10. Mantenha-se motivado: Manter-se motivado é importante para continuar com a rotina de treinos e alcançar os objetivos desejados.

Por: Eduardo Barbosa – @edurun

Continue lendo

Em Alta