Siga nossas redes sociais

O "X" da questão

Corrida em esteira

Avatar photo

Publicados

em

Você sabe e se sente seguro em correr na esteira?

As academias e condomínio geralmente abrigam esteiras que fornecem uma excelente oportunidade para atender a necessidade das pessoas de todos se exercitarem em busca de saúde e melhora no condicionamento físico. No entanto, é bom estar atento as normas de segurança para evitar o risco de lesões ou acidentes com os equipamentos, em especial a esteira. Em um estudo de 2016, as esteiras lideraram o ranking de equipamentos mais inseguros para treinos indoor, os acidentes prevaleceram sobre mulheres acima de 50 anos.

Vocês já alguma situação insegura na esteira?

O caso mais famoso que temos, aconteceu nos EUA com Etelvina Jimenez em 16 de janeiro de 2011, enquanto se exercitava em uma instalação da academia Fitness 24 horas em Sacramento, Califórnia/EUA. Jimenez se desequilibrou da esteira e caiu para trás com ela ainda em movimento (apesar do local ter um piso comum de academia que reduz e faz o trabalho de absorção de impacto), ela sofreu ferimentos graves na cabeça (fratura óssea) quando bateu com a cabeça em uma ponta de aço de um equipamento de pernas (membros inferiores), que a academia colocou logo atrás das esteiras, aproximadamente 90 cm atrás da esteira. Com a queda ela sofreu lesões na cabeça e o caso foi parar na justiça americana. O contrato de associação na academia continha uma cláusula de isenção de responsabilidade da empresa. No entanto, o manual do proprietário do fabricante da esteira instruiu em uma seção intitulada “Recursos de segurança da esteira”: “É importante manter a área ao redor da esteira aberta e livre de obstáculos como outros equipamentos.”

Faltou cuidados mínimos? Foi negligência? Existe um padrão?

Uma famosa marca de esteiras, em seu manual reforça: “AVISO: Mantenha a área de 6,5 pés (2 m) por 3 pés (0,9 m) atrás da esteira livre de quaisquer obstruções, incluindo paredes, móveis e outros equipamentos.” No caso citado acima, no entanto nenhum das 21 esteiras instaladas no local tinha esta “zona de segurança”. Durante o processo no tribunal, a academia cita que não existe um padrão da indústria fitness para instalação. Até existe, mas poucos sabem!

A American Society for Testing and Materials (ASTM) no documento ASTM F2115-19 exige um espaço mínimo de 2 metros atrás e 0,5 metros à frente de cada lado da esteira. Além disso o ideal é que a tomada onde a esteira vai ser instalada, deve ter a amperagem mais alta (20 amperes), para evitar o risco de sobrecarga e incêndio. É importante também, certificar-se do correto aterramento local, para reduzir o risco de choque elétrico.

Segundo a recomendação da ANVISA no Manual de Orientações para Fiscalização Sanitária em Estabelecimentos Prestadores de Atividade Física e Afins (2009) Seção VII, os aparelhos ergométricos (esteiras, bicicletas, elípticos e etc.) deverão estar localizados de maneira que possam permitir livre circulação nas suas laterais e na parte de trás, de, no mínimo, 0,80cm de distância, como área de escape, garantindo uma possível fuga dos usuários em caso de acidentes.

Treinar na esteira requer inicialmente, uma checagem prévia do equipamento. Antes de subir e ligar o equipamento, verifique na volta da esteira se está tudo bem, se não há nada cortante ou pontiagudo caso se desequilibre, além de acionar uma boa ventilação e hidratação para seu treino. Nos minutos iniciais, teste a lona caminhando devagar e correndo em velocidade baixa, os braços laterais, certifique-se de estarem bem fixos, caso precise se apoiar em algum momento. Inclusive ao realizar treinos intervalados, apoie-se nos braços laterais antes de pôr os pés nas laterais para descansar suas pernas.

Caiu? Não junte!

É comum as pessoas apoiarem toalhas, garrafas e telefones no painel ou na lateral da esteira, até aí tudo bem. Porém, se algum destes com o trepidar da esteira, escorregarem e começarem a cair no chão não tente pegar imediatamente, você vai se desequilibrar e cair. Pare o treino ou peça para alguém lhe alcançar, pois qualquer tentativa de pegar o que vai cair, quem vai cair é você!

Outra coisa importante: Combinação de celular e ou fones na esteira: PERIGO!

 Ao longo dos anos presenciei os raros incidentes na esteira, mas posso garantir que todos que presenciei foram por conta da combinação do comportamento do usuário usando celular e esteira ao mesmo tempo. Outro dia, me mostraram um vídeo de pessoas treinando em esteiras com óculos VR, pior ainda. Não use celular em esteira, nem para teclar mensagens. Repito NÃO USE! Não vale a pena o risco!

Para aumentar a segurança, encorajo os gestores de academias, moradores de condomínio a medirem as distâncias de folga atrás de suas esteiras e fazerem as mudanças necessárias de espaçamento, se necessário para o bem de todos.

Para finalizar, quer reforçar que a esteira é um excelente equipamento para melhorar sua corrida e uma ótima ferramenta de condicionamento físico, principalmente em dias de chuva onde evitamos correr na rua. Treinei centenas de alunos em esteiras, ensinei dezenas de pessoas a correr em segurança no equipamento, sempre que posso uso e abuso das esteiras, inclusive em treinos intervalados em alta velocidade. No entanto, cabe ressaltar que a nossa segurança deve estar em primeiro lugar, se notar que o equipamento está com algum problema técnico ou não se sente seguro para continuar, abandone e sinalize a área para segurança de todos. Security First!

Darlan Souza – Treinador (CREF 015393 G/RS) que já correu mais de 30 maratonas mundo afora, jornalista (MTB 87036/SP) e escritor com mais de 6 livros publicados.

O "X" da questão

Pare de beber água contaminada soldado! Use o Clorin!

Avatar photo

Publicados

em

Caro camarada corredor de trail run, enquanto você se aventura pelas trilhas e paisagens desafiadoras, há algo que não pode ser negligenciado: a importância de manter-se hidratado e protegido contra riscos à saúde. Muitas vezes a acaba a água das garrafas, da mochila de hidratação, e aparece um córrego de água, e você se pergunta, devo ou não beber esta água, é seguro o suficiente?
Existem hoje disponíveis no mercado, as pastilhas de ação germicida, indicadas para tornar a água segura e potável para consumo humano em ocasiões onde haja indisponibilidade de água tratada ou falta de confiança na qualidade da água. Formulada a partir de um derivado clorado orgânico, cada pastilha torna potável de 500 ml a 1 litro de água proveniente de qualquer fonte, como poços, riachos e mananciais, sendo ideal para o uso em trilhas.


Independente se você leva sua água, acredito que é preciso ter soluções seguras para descontaminação de água, afinal se caso você se perder na trilha e acabar a água ou se você sofrer um acidente e perder sua água por algum motivo você pode captar água de algum ponto na trilha e se hidratar, e é aí que entra o Clorin, o mais famoso comprimido dos corredores de trilhas, um aliado essencial para sua jornada de corrida em trilhas.
Que fique claro, não estou aqui para fazer propaganda de ninguém, e sim estamos aqui trazer uma solução segura a todos vocês que gostam de correr em trilhas e necessitam saber mais sobre produtos e serviços eficientes para desempenhar bem e voltar seguro para casa, completando seu percurso com saúde e disposição, esse é o X da Questão!


A fórmula do Clorin, que tem como base o Dicloroisocianurato de sódio, um componente orgânico de forte ação germicida aprovado pela Organização Mundial da Saúde, foi desenvolvida pelo Laboratório Químico-Farmacêutico da Aeronáutica (RJ) no início da década de 70, justamente para atender a grande necessidade de hidratação em ambiente hostil (selva) pelas forças armadas.
Ou seja, o objetivo de tornar qualquer água de riacho, como potável e própria para consumo imediato, o intuito era garantir que os soldados em treinamento pudessem consumi-la direto da natureza sem o risco de contrair doenças e continuando seu treinamento operacional em um ambiente restrito, assim o Clorin desempenhou um papel vital ao purificar a água dos nossos soldados e atualmente, este produto está disponível para nós corredores de trilhas.
Nas trilhas, a fonte de água pode ser incerta, e a contaminação microbiológica é uma preocupação constante. Com o Clorin, você tem uma solução confiável para transformar a água local em uma fonte segura de hidratação. O atual fabricante, garante ter laudos comprobatórios de diversos órgãos brasileiros, e de que os produtos são todos registrados na ANVISA, que têm sua eficiência germicida superior e segurança atestadas e aprovadas pelos principais órgãos ligados à saúde, e isso é bom demais.


Bom, resumidamente ao adicionar um comprimido de Clorin 1mg à sua garrafa de água (que coletou em algum córrego), você está tomando medidas importantes para proteger sua saúde. O cloro presente no Clorin elimina bactérias, vírus e outros microrganismos presentes na água, reduzindo significativamente o risco de doenças transmitidas pela água.
Não subestime a importância de um suprimento de água limpa e segura durante suas corridas de trail run. A hidratação adequada é essencial para manter seu desempenho e bem-estar. Com o Clorin, você pode confiar que está consumindo água purificada, livre de agentes patogênicos que possam comprometer sua saúde e seu desempenho atlético.
Lembre-se de seguir as instruções de dosagem e tempo de espera adequados ao usar o Clorin. Dessa forma, você estará garantindo a máxima eficácia do produto e proteção para sua saúde.
Mantenha-se hidratado, cuide de si mesmo e continue a superar desafios em suas corridas de trail run. Com o Clorin ao seu lado, você terá a tranquilidade de saber que está tomando medidas proativas para manter sua saúde e bem-estar durante suas aventuras nas trilhas.
Aqui um bom resumo de como usar o produto:
O Clorin 1mg é um purificador de água que contém cloro em sua composição para tornar a água potável. Aqui está um resumo de como usar o Clorin 1mg:
Preparação: Certifique-se de deixar pronto o seu kit com o comprimido de Clorin 1mg, bem como a água que deseja purificar (que pode estar em sua garrafa ou mochila de hidratação).
Dosagem: Para cada litro de água a ser tratada, adicione um comprimido de Clorin 1mg. Se você estiver tratando uma quantidade menor de água, ajuste a dosagem proporcionalmente.
Dissolução: Coloque o comprimido de Clorin 1mg na água e espere até que se dissolva completamente. Isso geralmente leva alguns minutos (cerca de 15 minutos).
Mistura: Agite ou mexa a água após a dissolução do comprimido para garantir que o cloro se espalhe de maneira uniforme.
Tempo de espera: Deixe a água repousar por pelo menos 15 a 20 minutos após adicionar o Clorin 1mg. Durante esse período, o cloro irá agir na desinfecção, matando bactérias, vírus e outros microrganismos presentes na água.
Cheiro e sabor: Após o tempo de espera, é possível que a água tratada apresente um leve odor de cloro. Se preferir, você pode agitar novamente a água ou deixá-la em um recipiente aberto por alguns minutos para que o cheiro diminua.
Consumo: Após o tratamento, a água estará pronta para o consumo. No entanto, se você ainda notar um sabor residual de cloro, pode deixar a água descansar em um recipiente aberto por mais algum tempo, o que ajudará a reduzir esse sabor.
É importante ler e seguir as instruções fornecidas pelo fabricante do Clorin 1mg para obter melhores resultados e garantir a eficácia do produto na purificação da água. Espero que este conteúdo tenha ajudado a entender mais sobre soluções eficientes e seguras para poder aproveitar bem o que a natureza oferece (que é a corrida em trilhas) e é essencial para nossa saúde manter-se hidratado principalmente durante nossas atividades físicas regulares.
Bons treinos camaradas!

Por: Darlan Souza

Continue lendo

O "X" da questão

Iron Maiden: A Importância do Ferro para a Saúde e a Performance das Mulheres

Avatar photo

Publicados

em

O ferro, muitas vezes chamado de “o mineral da vitalidade”, é um componente essencial para o funcionamento adequado do nosso corpo, desempenhando um papel crucial na produção de hemoglobina, a substância que transporta oxigênio para as células. Para corredoras amadoras, manter níveis adequados de ferro não é apenas vital para a saúde geral, mas também para alcançar uma boa performance durante os treinos e suas provas.

Causas da Deficiência de Ferro:

A deficiência de ferro pode ser causada por diversas razões. Uma dieta pobre em alimentos ricos em ferro, como carnes magras, legumes e vegetais de folhas escuras, pode levar a um déficit desse mineral. Além disso, perdas sanguíneas frequentes, como aquelas associadas ao ciclo menstrual em mulheres, podem contribuir para a deficiência de ferro. Treinos de longo volume e intensos, contribuem para esta situação.

Alimentos Ricos em Ferro:

Incluir uma variedade de alimentos ricos em ferro na dieta é fundamental. Carne vermelha, aves, peixes, feijões, lentilhas, espinafre e cereais enriquecidos são excelentes fontes desse mineral. Combinar esses alimentos com fontes de vitamina C, como frutas cítricas ou mesmo suplementando, pode aumentar a absorção de ferro pelo organismo.

Suplementação de Sulfato Ferroso:

Em alguns casos, a suplementação de sulfato ferroso pode ser necessária para corrigir deficiências ou mesmo para prevenir possíveis perdas. Exames regulares de ferro e seus subcomponentes ajudam a monitorar para que a suplementação seja mais assertiva.

Anemia em Atletas, Especialmente Mulheres Corredoras Amadoras:

A etiologia da anemia em mulheres corredoras amadoras é multifacetada. A perda menstrual, a ingestão inadequada de ferro na dieta e as demandas aumentadas devido ao treinamento físico intenso podem contribuir para a deficiência de ferro. A falta de conscientização sobre esses fatores pode resultar em fadiga persistente e sensação de fraqueza durante as corridas.

O repouso aliada a boa nutrição contribuem para a melhora do estado de fadiga e assim é possível se obter boa performance com saúde plena tanto a curto quanto a longo prazo.

Ela está ferrada!

Que bom, esse é o X da Questão!

Fatores que Podem Interferir na Absorção de Ferro e a Relação com a Doença de Crohn:

Doença de Crohn e Inflamação Crônica:

   – A doença de Crohn, uma forma de doença inflamatória intestinal (DII), é marcada por inflamação crônica no trato gastrointestinal. Essa inflamação pode comprometer a absorção eficiente de ferro no intestino delgado, contribuindo para deficiências nutricionais, incluindo a de ferro.

Hepcidina e Regulação do Ferro:

– Pacientes com doença de Crohn podem apresentar níveis elevados de hepcidina, uma proteína que regula a absorção de ferro. O aumento da hepcidina pode reduzir a disponibilidade de ferro, exacerbando a deficiência desse mineral.

Alimentos que Interferem na Absorção de Ferro e Considerações para Doença de Crohn:

Cálcio, Polifenóis e Ácido Fítico:* Alimentos ricos nesses componentes, conhecidos por interferirem na absorção de ferro, podem exigir uma atenção especial em pacientes com doença de Crohn, dada a susceptibilidade desses indivíduos a complicações nutricionais.

Alimentos que Aumentam a Absorção de Ferro e Recomendações Específicas para Doença de Crohn:

Vitamina C, Carne e Vitamina A:* A ingestão de alimentos ricos em vitamina C, carnes (especialmente as vermelhas) e vitamina A pode ser benéfica para melhorar a absorção de ferro. No entanto, é fundamental personalizar a dieta de acordo com as necessidades e desafios específicos enfrentados por pacientes com doença de Crohn.

Fique atenta:

Se você é uma corredora amadora que experimenta fadiga constante, é crucial não ignorar esses sinais. Consulte um médico e um nutricionista capacitado para realizar exames específicos, avaliar seus níveis de ferro e receber orientações personalizadas. A consciência e o cuidado em relação à sua dieta e, se necessário, a suplementação, podem fazer uma enorme diferença em sua saúde e desempenho atlético, esse é o X da Questão!

A Donzela de Ferro não é apenas um ícone do rock, mas também uma metáfora para as mulheres se lembrar da sua força interior, esta força necessária para superar todos os obstáculos. Ao cuidar dos seus níveis de ferro, você está fortalecendo não apenas seu corpo, mas também sua jornada como corredora. Corra com força, vitalidade e persistência. Corra com saúde e boa performance.

Bons treinos!

Por: Darlan Souza

Continue lendo

O "X" da questão

Não Existe Tênis Perfeito!

Avatar photo

Publicados

em

Qual melhor tênis hoje? Depende!
Tênis de placa de carbono é para todo mundo que corre? NÃO!
Tênis de placa pode me dar melhores resultados, me deixar mais rápido nas corridas? Sim, pode melhorar sua velocidade, se você estiver bem treinado, bem nutrido e bem descansado, ele sozinho não faz milagres! TREINE MUITO!

Antes de pensar em tênis ideal, a sua preocupação deve ser focado em ter o pé “treinado” e magro para receber este produto intitulado de “super tênis”. É preciso ter tido alguns anos de experiência correndo com tênis regulares. Tênis de placa apesar de serem a nova “modinha” eles de modo geral são extremamente apertados e desconfortáveis para novatos na corrida. Além do mais, é crucial solidificar bem a estrutura e ter uma boa flexibilidade dos pés e dos membros inferiores (músculos, tendões e todas articulações). Ou seja, precisa ter experiência em correr com todos tipos de tênis e terrenos (planos, subidas e descidas).

Sugiro na medida do possível testar e experimentar diferentes tipos/modelos de tênis para seus treinos aeróbicos de corrida, pois nem sempre o mais caro é o melhor para você. Algumas marcas acertam em alguns modelos e erram em outros ao longo do tempo e isso é normal, este é o X da Questão!

O melhor produto ainda é aquele que você pode pagar hoje e que não cause desconforto em seus treinos. O ideal inclusive é ao comprar, realizar um monitoramento da km dele e inclusive revezar com outros para não sobrecarregar ele, tênis precisa descansar um ou dois dias para aumentar seu tempo de vida útil. O tempo de vida de um tênis para correr bem e confortável na média pode chegar a 1.000km ou mais. Com 600km de uso, ele costuma ficar mais duro e desgastado.

Cuidado com quem abre a boca na internet para fazer “review” sobre tênis, esta boca que tanto fala e elogia determinada marca ou modelo “pode ser comprada” para falar o que bem entende para determinada marca ou modelo vender mais. Cuidado!
Sobre saber avaliar tênis:
0-50km: É somente as impressões
50-100km: Ainda é primeiras impressões sobre o produto
100-200km: Pode aprofundar os comentários, lavar e citar o desgaste
200-400km: Pode apresentar os desgastes e os pontos de pressão, colagens e rasgos
500-600km: Relatório final do tênis.

Encontrar o calçado adequado a seu gosto e seu bolso pode ajudar a melhorar sua saúde e desempenho.

Além disso, testar diversos tipos de tênis permite encontrar o mais confortável para diferentes tipos de terreno e distâncias de corrida. Por outro lado, nos treinos de musculação, uma botinha pode ser uma opção mais adequada do que um tênis, pois oferece estabilidade e suporte adicionais durante os exercícios de levantamento de peso, reduzindo o risco de torções e lesões nos tornozelos.

Ter bons calçados, são essenciais para o bom desenvolvimento dos treinos, aposte no que pode pagar hoje e nos que te fazem bem. E sobre o “drop” dos tênis? Ah, isso é assunto para outro momento! Bons treinos a todos!

Por: Darlan Souza

Continue lendo

Em Alta